5 erros que impedem sua empresa de implementar a Economia Circular

Share on linkedin
Share on facebook
Share on twitter
Share on google

A Economia Circular é um tema que está cada vez mais em alta. Empresas como Google, Nike, Adidas, Unilever e Coca-Cola já adotaram publicamente compromissos e metas para implementar essa estratégia.

Algumas cidades, como Amsterdã e Copenhage também definiram políticas e metas para se tornarem cidades circulares. E a ISO continua seu trabalho para elaborar uma norma relacionada ao tema.

Entretanto, ainda estamos distantes de uma economia circular. Segundo o último estudo da Circle Economy, apenas 8,6% do mundo é circular.

O fato é que muitas empresas têm interesse no tema, mas sentem dificuldade de colocar em prática essa abordagem.

No Brasil, a ausência de políticas públicas de incentivo à circularidade agravam ainda mais a situação. Isso, sem considerar a concorrência com as soluções lineares e a falta de cadeias de suprimentos reversas. Entretanto isso não é um fator impeditivo para começar a implementar a economia circular.

Se você se identificou com essa situação, tem interesse em implementar a economia circular, mas está com dificuldades em obter resultados, você precisa ler este artigo até o final. Confira a seguir os principais erros que podem estar impedindo sua empresa de obter sucesso com essa nova abordagem.

  1. Novas práticas, velho mindset
  2. Não ter um plano de transição para economia circular
  3. Restringir as possibilidades logo no início
  4. Ter uma única estrutura de projetos para eficiência e economia circular
  5. Ausência de indicadores para economia circular

1º Erro: Novas práticas, velho mindset

É comum em nossos projetos de consultoria termos que ter um cuidado especial com o mindset. Muitas empresas querem soluções prontas e rápidas – afinal, é natural do ser humano se sentir desconfortável com problemas, e isso nos leva a querer soluções o mais rápido.

O primeiro ponto a se entender é que economia circular não é uma solução plug n play: cada empresa terá que encontrar seu caminho para a circularidade.

Além disso, outro problema é não investir em mindset. Segundo a Mckinsey, empresas que investem em mindset obtem até 4x mais resultados do que as empresas que não investem. São as práticas que geram resultado, mas é o mindset que determina quais práticas e como vamos executá-las.

Portanto, aplicar práticas de economia circular, como é o caso da reciclagem, sem rever o design, é uma situação típica deste erro.

O que fazer: desenvolva o mindset e competências constantemente. Lembre-se que mindset é um jogo de longo prazo, e praticar é essencial. Para acelerar o processo, estude, faça cursos e modele o seu mindset a partir de pessoas de referências. A seguir, listamos características chave que devem ser incorporadas ao nosso mindset.

mindset economia circular upcycle
Características do mindset para economia circular.

2º Erro: Não ter um plano de transição para economia circular

Esse é, sem dúvida, um dos principais erros que impedem seu negócio de ter sucesso. Não há um plano claro de transição, com objetivos, metas, ações e indicadores.

Ter um bom plano faz parte da gestão, e se a economia circular não faz parte da gestão, certamente não haverá um plano. Por isso, é importante inserir o assunto na gestão do negócio, e isso tem que vir de cima para baixo (abordagem top-down).

Outra situação comum é ter um plano, mas ele ter sido elaborado de forma errada, a partir do que a empresa faz hoje – onde se utiliza o planejamento através do forecasting.

Fuja do forecasting. Quando falamos em sustentabilidade, utilize o conceito o backcasting: faça o planejamento começando pela conscientização e a visão de futuro do negócio, não a partir do que a empresa faz hoje.

Fique tranquilo, você não sabe ainda qual caminho vai seguir. O que você precisa ter é uma visão do seu negócio em uma economia circular.

O que fazer: insira a economia circular na gestão da organização. Os líderes não compram a ideia? Desenvolva um business case e mostre resultados, mesmo em escala piloto. Compraram a ideia? Ótimo, comece com um bom planejamento, via backcasting, e tenha um modelo de gestão orientado à economia circular.

Dica: Quer aprender como implementar um modelo de gestão para economia circular? Então confira nosso mais novo curso sobre como implementar a economia circular através da gestão. Confira aqui.

3º Erro: Restringir as possibilidades logo no início

Outra situação que encontramos frequentemente é restrições logo no início.

Imagine a seguinte situação: você é contratado para desenvolver uma solução em economia circular para embalagens plásticas. Após uma análise detalhada, você identifica algumas oportunidades e apresenta para o cliente:

Consultor: Existe uma grande oportunidade para resolver o problema de geração de resíduos e embalagens plásticas através o redesign, evitando a mistura desses 2 componentes…

Cliente: Não podemos alterar o design, pois o consumidor adora nossa embalagem.

Consultor: Ok, então podemos explorar algumas possibilidades com outras matérias-prima, renováveis, ou até alguma solução de reuso.

Cliente: Isso também não é possível, pois temos que trabalhar com este parceiro que utiliza embalagens flexíveis de plástico. Ele é estratégico para nosso negócio.

Consultor: Então, vamos avaliar algumas possibilidades em modelos de negócio em escala piloto. Há espaço para isso?

Cliente: Isso está fora dos planos. Queremos implementar uma solução para aumentar a reciclagem das embalagens, mas não podemos alterar o design do produto ou modelo de negócio, e precisamos trabalhar com esse parceiro.

Resumo da história: não restrinja as possibilidades logo no início. Ao fazer isso, você reduz significativamente as oportunidade de soluções inovadoras. Sabemos que existem restrições de negócio, mas se o objetivo é implementar soluções na lógica da economia circular, você precisa estar aberto.

Afinal, o seu negócio está na lógica da linearidade, ao se prender à essa lógica, você não está implementando a economia circular, mas sim, aplicando uma estratégia que vai ter poucas chances de funcionar, com grandes chances de ter um alto custo e baixa viabilidade.

O que fazer: Comece pelo problema, não pela solução. Avalie diversas possibilidades antes definir o escopo do projeto. Não se assuste, pois você irá testar tudo em escala piloto, e com certeza, pivotar bastante. Seu objetivo aqui não é acertar de primeira, mas inovar – então, faça como as startups e referências do mercado.

4º Erro: Ter uma única estrutura para projetos de eficiência e economia circular

Esse erro pode custar muito caro a sua empresa: gerenciar projetos de economia circular em uma única estrutura.

É comum projetos de economia circular nascerem no departamento de sustentabilidade e meio ambiente. Esse departamento de forma geral, principalmente na indústria, têm um viés operacional. Isso significa que há um gestor e uma equipe que desenvolve projetos de melhoria contínua, focando em eficiência e projetos que tem baixo risco e retorno sobre investimento (ROI).

Deixar os projetos de economia circular nessa estrutura pode, no longo prazo, matar a inovação.

Mas por que isso acontece?

Simples. Você vai ter um único gestor que tende a ser cobrado por desempenho no curto prazo, e o sucesso dos projetos tendem a ser avaliados pelo seu ROI.

Projetos de economia circular não são projetos de curto prazo e de melhoria incremental. Geralmente possuem risco médio para alto, com ROI de difícil mensuração. Com o tempo, é natural o gestor e a equipe evitar projetos desse tipo, pois não contribuem para o “sucesso” do departamento.

Não estimule a concorrências entre projetos inovadores de economia circular e projetos de melhoria de eficiências – ambos são importantes e necessitam de estruturas diferentes de gestão.

O que fazer: Tenha duas estruturas de gestão. A primeira, focada em melhoria de eficiência de operações, compliance e ROI no curto prazo. A segunda, focada em desenvolver soluções de economia circular. Aqui, dê preferência por equipes multi-disciplinares (sustentabilidade, marketing, design, dentre outras). Sua empresa não precisa criar um outro departamento, nem recomendamos. Mas tenha uma outra estrutura híbrida e regras de gestão e governanças diferentes, focada em projetos estratégicos. Se possível trabalhe neste caso como startup e com gestão ágil de projetos.

5º Erro: Ausência de indicadores para a economia circular

Por fim, outro erro é não possuir indicadores que ajudem a medir o progresso relacionado à economia circular.

É claro que cada empresa está em um contexto específico, umas com menos recursos que outras. Mas hoje, já é possível adotar indicadores de economia circular sem precisar fazer grandes investimentos.

Afinal, sem indicadores, como você vai ter certeza de que a sua solução tem um melhor desempenho ambiental, social e econômico?

O que fazer: combine indicadores do tipo leading e lagging – indicadores que levam ao resultado e indicadores de resultado. Utilize indicadores que ajudam a medir o índice de circularidade, como é o caso do Circulytics. Se tiver recursos, invista em estudos de Avaliação do Ciclo de Vida, especialmente os estudos comparativos.

Dica final: Esses e outros erros que impedem seu negócio de implementar a economia circular estão relacionados à falta de uma gestão orientada a essa nova abordagem. Para evitar esses erros e ter sucesso na transição, confira nosso novo curso que ensina como integrar a economia circular na gestão. A próxima turma será dia 22/7. Garanta o curso com preço especial de primeiro lote, disponível até o dia 12. Confira mais detalhes aqui.